Jornalismo

Conexão Repórter 15-11-2015, mostra a suposta cura para o câncer

No Conexão Repórter deste domingo 15-11-2015, Roberto Cabrini comanda uma investigação especial sobre um polêmico tema: são pequenas cápsulas azuis e brancas, que se tornaram alvo de imensa polêmica nacional. São elas, de fato, capazes de curar o câncer?

O nome da substância é fosfoetalonamina sintética. Hoje, chamada simplesmente de “fosfo”. Não são poucos os pacientes da doença que relatam melhora. Não são poucos também os que se opõem ao seu uso. De oncologistas importantes a dirigentes de entidades.

Em uma entrevista esclarecedora, o químico que desenvolveu a substância: Gilberto Orivaldo, professor aposentado da USP. Um homem de 72 anos, hábitos singelos e fala mansa, que não tem dúvida sobre o poder da droga que desenvolveu.  “Aqueles que criticam deviam testar para dizer que não funciona”, defende-se.

Hoje, a “fosfo” é produzida em um pequeno laboratório da USP, no interior de São Paulo. Um ritmo de produção baixo, que não atende a demanda. Cercado de emoção, o debate chegou aos tribunais.

A fosfo não tem registro na ANVISA, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Embora proibida, a distribuição acontecia informalmente até ser expressamente proibida. Popular no boca a boca, a fosfo nunca passou pelos testes oficiais. Nunca foram feitos testes clínicos, compostos de baterias rigorosas de avaliação, embora o professor de química que a aperfeiçoou relate testes em animais e células humanas e resultados positivos em pacientes a começar por ele próprio.

Conexão Repórter
Domingo, após o Programa Silvio Santos

Não encontrou o que estava procurando? Não se preocupe, utilize nossas indicações abaixo ou nosso buscador para encontrar ví­deos, posts e muito mais no Portal S4. Faça sua pesquisa!
loading...
Inscreva-se em nosso canal no Youtube!

Sobre o autor

Marina Heringer

Deixe seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: